domingo, 16 de março de 2014

Os 5 filmes mais marcantes de Bernardo Bertolucci

Nascido em 16 de março de 1940, o italiano Bernardo Bertolucci começou cedo na carreira de cineasta, ainda no final dos anos 50, quando gravou seus primeiros curta-metragens. Sua carreira como diretor, de fato, iniciou em 1962 com o longa A Morte (La Commare Secca), mas foi com Antes da Revolução (Prima Della Rivoluzione), de 1964, que ele enfim chamou a atenção do público e da crítica. Ainda nos anos 60, Bertolucci escreveria o roteiro de Era Uma Vez no Oeste (Once Upon a Time in the West), que talvez seja o melhor filme do diretor Sergio Leone.

Já nos Estados Unidos, ele dirigiu o sucesso da época O Conformista (Il Conformista), pelo qual chegou a concorrer ao Óscar de melhor roteiro. Em 1972, lançou o polêmico O Último Tango em Paris (Ultimo Tango a Parije), com Marlon Brando e Maris Schneider. O longa ficou conhecido pelas cenas de nudez explícita (uma das marcas do diretor) e, principalmente, pela cena clássica da manteiga (quem assistiu sabe de qual estou falando). Ainda nos anos 70 ele lançou o épico 1900, talvez o melhor e mais grandioso filme da sua carreira, que contava com Robert de Niro e Gerárd Depardieu, ambos em início de carreira.

Nos anos 80, Bertolucci lançou o seu filme mais premiado da carreira, O Último Imperador (The Last Emperor), que levou nove Óscar para casa, incluindo o de melhor filme e o de melhor diretor. De lá para cá, ele lançou alguns bons filmes, todos bastante intimistas, que usam e abusam do seu velho estilo de narrativa lenta. O maior sucesso dentre eles é Os Sonhadores, que conquistou o circuito alternativo em 2003 ao mostrar um grupo de jovens revolucionários, na Paris de 1968, que se encontram e se relacionam entre si.

Numa homenagem ao diretor, listei abaixo 5 filmes marcantes e imperdíveis de sua carreira. Confira abaixo e comente.


1. O Último Tango em Paris (1972)

Enquanto procura um apartamento para morar, a jovem Jeanne (Maria Schneider) conhece um americano, Paul (Marlon Brando), cuja esposa recém cometeu suicídio. Instantaneamente os dois iniciam um tórrido romance, onde combinam não conversar sobre suas vidas passadas e nem saberem seus nomes, sendo sexo o único objetivo dos encontros. Porém, as coisas não são tão fáceis quanto parecem.

2. O Último Imperador (1987)

O filme mostra a saga de Pu Yi, o último imperador da China, que foi declarado para o cargo quando tinha apenas 3 anos de idade e viveu enclausurado na Cidade Proibida até ser deposto pelo governo revolucionário, conhecendo o mundo exterior pela primeira vez depois de 24 anos.

3. 1900 (1976)

A saga épica acompanha 45 anos da vida de dois amigos inseparáveis, o filho de um camponês e o filho do dono das terras onde o pai do primeiro trabalha. Juntos, eles acompanham o crescimento do fascismo na Itália, numa jornada de separações, insegurança e descobertas. A longa duração (cerca de 5 horas e meia) afasta o grande público de início, mas com certeza vale a pena perder um dia assistindo-o.

4. O Conformista (1970)

Marcello (Jean Louis Trintgnant) acaba de aceitar um trabalho para Mussollini, enquanto flerta e inicia um romance com uma bela jovem. Casados, eles vão à Paris para uma lua de mel, onde ele deve também cumprir uma missão dada por seus chefes: eliminar um professor que fugiu da Itália após o início do regime fascista.

5. Os Sonhadores (2003)

Matthew (Michael Pitt) é um jovem que, em 1968, vai estudar em Paris. Lá ele conheceos jovens Isabelle (Eva Green) e Theo (Louis Garrel), e logo os três se tornam amigos. Com o tempo, eles acabam dividindo experiências e desejos, enquanto a capital francesa vive a efervescência dos movimentos da Revolução Estudantil.

Um comentário:

  1. Ótimo cineasta. Bela seleção amigo. Um abraço!

    ResponderExcluir